post-header
Artigos

Análise bibliométrica de pesquisas que avaliam o uso da acupuntura para o tratamento da dor nos últimos 20 anos

A acupuntura é uma das terapias complementares e alternativas mais usadas e tem sido amplamente aplicada para o tratamento de diversas condições, incluindo dor, derrame, náuseas, e manejo da saúde mental.

A pesquisa da acupuntura cresceu significativamente nas últimas décadas, pois, uma vez que é eficaz para o tratamento da dor, muitos trabalhos buscaram investigar seus mecanismos de analgesia e avaliar seus efeitos em ensaios clínicos. No entanto, apesar do rápido aumento dos estudos publicados e das importantes descobertas realizadas, houve pouca análise quantitativa de pesquisas sobre acupuntura para dor em termos do impacto dos artigos (com base no índice de citações), autores e afiliações.

A bibliometria, por sua vez, é um método de análise quantitativa que utiliza ferramentas matemáticas e estatísticas para medir as inter relações e o impacto de publicações de uma determinada área de pesquisa. Este método fornece uma visão geral macroscópica de uma grande quantidade de literatura acadêmica e também pode ser usado para identificar com eficiência estudos, periódicos, organizações e países influentes ao longo do tempo.

O presente estudo, portanto, utiliza a abordagem bibliométrica para analisar padrões em pesquisas sobre acupuntura para controle da dor e para avaliar o estado atual das pesquisas sobre analgesia por acupuntura. Para tanto, foram incluídos 4595 artigos originais publicados entre Janeiro de 2000 e Julho de 2019 e em língua inglesa, recuperados do Web of Sciences utilizando os termos de busca: acupuntura OU eletroacupuntura, E dor.

A restrição do idioma, no entanto, representa uma limitação do estudo. Isso porque, uma vez que incluiu apenas trabalhos em língua inglesa, cerca de 3% do total de trabalhos publicados sobre o assunto não foram analisados. Contudo, por ser apenas uma pequena parcela do total de publicações, esperava-se que as tendências gerais dos resultados fossem semelhantes às obtidas sem este critério de inclusão. 

Os trabalhos foram estratificados de forma sistemática de acordo com o ano de publicação, país, periódico, área de pesquisa, autores, e afiliações organizacionais. Ainda, foi utilizado o método de mapeamento de semelhanças para estimar a similaridade/afinidade de acordo com a força de associação entre os termos; e também palavras-chave foram analisadas para identificar tópicos populares na pesquisa da acupuntura para o controle da dor.

Assim, observou-se um aumento constante do número de publicações no assunto nos últimos 20 anos. Dentre os 54 países identificados, os Estados Unidos tiveram o maior número de publicações (30,7%), seguidos pela China (24,2%) e Coréia do Sul (10,4%), enquanto o Brasil ficou na nona posição, com 3,7% do total de publicações. Esse resultado indica uma tendência de mudança. No estágio inicial das publicações, países ocidentais, como Estados Unidos e Alemanha, lideravam a pesquisa de acupuntura e realizaram muitos ensaios clínicos, enquanto atualmente países orientais, em especial a China e Coréia do Sul, aumentaram sua contribuição para a pesquisa da área.

Já a análise de afiliações organizacionais mostrou que a Universidade de Kyung, na Coréia do Norte, publicou a maioria dos artigos (5,6%), seguida pela Universidade de Harvard (4,2%). Ainda, identificou que os autores que mais publicaram artigos sobre acupuntura no controle da dor foram Lee H, da Coréia do Sul, com 69 publicações; seguido por Lao LX e Lee MS, dos Estados Unidos e Coréia do Sul, respectivamente, ambos com 65 artigos. 

As publicações pertencem a diferentes áreas de pesquisa, sendo 71 áreas identificadas na análise. A área mais bem representada em termos de número de artigos foi medicina complementar (com 33,3% do total de artigos), seguida de neurociência e neurologia (19,6%), medicina interna geral (12,8%) e anestesiologia (7,3%). Além disso, foram identificados também 900 periódicos, sendo que o Evidence-based Complementary and Alternative Medicine publicou a maioria dos artigos, seguido pelo Journal of Alternative and Complementary Medicine e Acupunture in Medicine.

Utilizando o método de mapeamento de semelhanças, a análise baseada na co-ocorrência de palavras-chave revelou três tipos distintos de estudo, agrupados entre si. Dentre os trabalhos agrupados em estudos clínicos, os principais termos encontrados foram acupuntura, dor lombar, manejo, estudo randomizado controlado, entre outros. Já no agrupamento de manejo da dor, os termos foram medicina alternativa, prevalência, complementar, ensaio, etc. No terceiro agrupamento, de estudos de mecanismos, observou-se principalmente os termos dor, eletroacupuntura, estimulação, analgesia, entre outros. Ademais, a análise de mudança nas palavras-chave por ano de publicação indica maior prevalência de termos de estudos que investigam os mecanismos da acupuntura.

Esta análise, portanto, incluiu trabalhos com relação à analgesia por acupuntura, conduzidos tanto em humanos quanto em animais, para mostrar as tendências globais da pesquisa e prever futuros desdobramentos dela neste campo. Sendo assim, este estudo contribuirá para apoiar o uso atual da acupuntura para o controle da dor como uma alternativa aos opióides.

Website | + posts

CRM-SP: 158074 / RQE: 65523 - 65524

Médico especialista em Fisiatria e Acupuntura. Área de Atuação em Dor pela AMB. Doutorado em Ciências pela USP. Pesquisador e Colaborador do Grupo de Dor do Departamento de Neurologia do HC-FMUSP. Diretor de Marketing do Colégio Médico de Acupuntura do Estado de São Paulo (CMAeSP). Integrante da Câmara Técnica de Acupuntura do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP). Secretário do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED). Presidente do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira de Regeneração Tecidual (SBRET). Professor convidado do Curso de Pós-Graduação em Dor da Universidade de São Paulo (USP). Membro do Conselho Revisor - Medicina Física e Reabilitação da Journal of the Brazilian Medical Association (AMB).